Você está em: Home > Institucional > Artigos
Institucional
Artigos
Cistite em gatos

Cistite em gatos

Doença muito comum na vida dos gatos, a cistite é uma inflamação das vias urinárias. Ocorre em gatos machos e fêmeas, mas com maior frequência em machos e adultos.

A cistite felina pode ser causada por infecções no trato urinário, pedras na bexiga, diabetes, tumores ou por bactérias. O estresse também pode ser uma das causas da inflamação.

Prevenir a cistite, cálculo e doenças renais é fácil. Basta manter a água sempre disponível e limpa, oferecer ração de qualidade e incentivá-lo a se exercitar e brincar.

Sintomas da cistite em gatos

Os sinais mais visíveis de que o seu gato está com cistite são:

  • aumento da frequência ao urinar;
  • sangue na urina;
  • odor muito forte na urina;
  • dificuldade para urinar;
  • ardência;
  • o animal passa a urinar em locais diferentes dos de hábito.

Já a doença do trato urinário inferior (DTUIF) causa grande desconforto ao gato, que sente dor e fica inquieto e incomodado o tempo todo. Os gatos mostram sinais de dificuldade e dor ao urinar, aumento da frequência de micção e até urina com sangue.

Diagnóstico da cistite felina

O diagnóstico da cistite em gatos é feito através de exame clínico, testes de urina e de imagem.

É muito importante levar seu gato regularmente ao médico veterinário e assim que perceber os primeiros sintomas da cistite. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico da doença, melhores são as chances de cura e de não haver reincidência.

Como tratar cistite no gato?

O tratamento da cistite em gato depende de mudança nos hábitos alimentares e antibióticos. A água deve ser sempre trocada e a caixinha de areia também deve ser mantida limpa e uma ração específica para o tratamento deve ser administrada. Lembrando que essas recomendações devem ser dadas pelo veterinário.

Melhor ração para cistite em gato

 

 

 

A ração Equilíbrio Veterinary Urinary auxilia no tratamento da cistite, cálculos de estruvita e doença do trato urinário inferior dos felinos (DTUIF) e seu uso é recomendado durante o tratamento e por até 6 meses para a prevenção de recidivas.

 

 

 

Outras postagens: